Saudades...

Acho surreal pensar como a nossa vida está arquitetada enormemente encima de fatos que passaram, mas também é surpreendente a força que esses fatos tem sobre a nossa vida nos dias de hoje.

Alguns dizem que o futuro se constrói baseado no passado, pode ser que concorde com isso, mas essa teoria pode ser falsa, quantas pessoas não estão a cada dia se reinventando e começando algo novo, uma vida nova, um emprego novo, um namoro novo, amizades novas... E será que tudo isso realmente está calcado no passado dessas pessoas? Pode ser...!

Uns tempos atrás numa crise de depressão fodida que tive parei pra pensar se realmente a minha vida naquela época era tão boa quanto o meu passado e concluí que não. O meu passado havia sido muito melhor do que o presente, e talvez, apesar de livre da depressão, ainda ache isso uma verdade absoluta da minha vida, meu passado foi melhor do que é o meu presente.

A dias atrás encontrei um velho amigo meu, que é um 'nerd' do caralho e que está estudando na Unesp, Engenharia Mecânica, e voltei ao passado... por um momento acho que vi as coisas boas que vivi e isso foi meio confortador e me deu esperança num futuro melhor, e é isso que está me motivando hoje essa “esperança num futuro melhor”, mas enquanto esse futuro melhor não chega tenho saudades do meu passado.

Saudades dos meus 13 anos, do meu amigo Harrison, dos nossos “papos cabeça” e do amigo que era um irmão...

Saudade dos meus 16/17/18 anos, com os meus amigos Diógenes, Grazielle, Raphael Rosa, Cynthia, Rodrigo, Débora, Alba, André, Robson, Renato...amigos que me fizeram crescer e que cresceram comigo.

Saudades de 2005, de poder experimentar verdadeiramente o que é o amor e de amar uma mulher tão doce e especial da qual tive que abdicar pela felicidade dela. E mesmo de longe posso ver que realmente ela está feliz.

Saudades de 2005/2006 e do amigo que também foi um ''irmão'' que ganhei. E também que se foi. Saudades dos bons momentos, da amizade que subsiste apesar da distância...

Saudades! Será mesmo que o passado é melhor que o presente? Um caso a se pensar!

Abçs a todos!

7 commenti:

Talvez eu conte... um dia. { 5 de maio de 2008 20:27 }
Ah, papo de saudade é comigo mesmo!
Eu sou capaz de ter saudade até do meu antigo lápis!
Mas hoje em dia, eu tenha saudade de mim mesma, de quando eu era mais tranquila, mais confiante, mais magra, mais saudável, mais amavél, mais simpática, menos intolerante, menos bicho-do-mato... enfim, meu passado também era melhor!
Claro que há momentos que eu prefiro esquecer, amizades que eu preferia não ter tido... mas no fundo cada situaçao me fez o que eu sou hoje, e bem ou não, eu sou uma boa pessoa, no fundo. (hahaha).
Tenho saudade de algumas amizades, tenho saudade das minhas viagens, das pessoas queridas que eu perdi;

Mas quer saber do que eu MAIS tenho saudade? De quando certas coisas do passado, nao me machucavam! Quando eu não ligava pra esse tipo de coisa.

Saudade, na minha opiniao, faz 40% do que somos.
carla m. { 5 de maio de 2008 23:23 }
tem um poeta que escreveu: "tenho saudades dos tempos que virão".

eu gosto da fórmula. é gostoso ter saudades quando isso aproxima a gente do que passou (sim, por que passou), mas aprendi a não ter saudades daquilo que não foi, das possibilidades que não se concretizaram. e nem a me prender ao não é mais.

desapego... palavrinha difícil de adquirir.
Vinícius Haesbaert { 6 de maio de 2008 00:10 }
Bizarro, mas vou postar um texto hoje exatamente sobre a diferença do tempo.
Não acredito em passado, nem em saudade, só acredito em presente. O passado e o futuro, aliás, são construções do presente - que, por si só, é a autoprodução de instabilidade. Tudo é presente. Até as imagens que você projeta do passado são imagens presentes das coisas passadas, não existindo, dessa forma, um passado autônomo e mítico. A imagem de que as coisas passadas são melhores, só passa na nossa cabeça porque SEMPRE vemos o mundo com a referência do presente. Até as coisas futuras são presentes se você pensa nelas agora. O tempo é movimento e a única coisa que nos separa do ontem ou do amanhã é a nossa mente, que nem sempre faz isso de maneira inteligente como eu dei a entender no final do meu texto. hehe
Pedro { 6 de maio de 2008 00:35 }
Tenho saudades de muitas coisas, mas aprendi que o passado é passado. Tento fazer meu presente valer a pena.
Latinha { 6 de maio de 2008 10:56 }
Olá! Tudo joia!?

Rapaz... não esqueça que o passado também já foi presente e será que naquela época (o então presente) você era tão feliz? Teu post é muito legal e eu acho que essa reflexão é muito válida...

Eu acredito que somos resultado do acumulado de experiências que já tivemos. Não que isso "defina" o nosso destino, mas acho que tem uma parcela de contribuição importante nas escolhas que fazemos.

O problema é que na correria do dia-a-dia muitas vezes não temos condições de parar e observar ao nosso redor e perceber as coisas boas. Quem sabe você não conheceu hoje o seu futuro "amigo-irmão" ;-)

Grande abraço e adorei o post!

"Eu aprendi que todos querem viver no topo da montanha, mas toda a felicidade e crescimento ocorrem quando você está escalando-a" (Legrand)
Leonardo Werneck { 6 de maio de 2008 18:54 }
Cara, tá todo mundo saudoso nos blogs ou é impressão minha? Putz, o teu é o quarto blog falando de saudades.

Olha, vivo de saudades, amo uma mulher que mora no Japão há 7 meses, saca meu drama?

Mas vou te falar uma coisa, ter saudade é viver duas vezes o momento, resgatando o momento antes vivido.Aproveite a fase.
Gustavo Hermes Soares { 8 de maio de 2008 13:13 }
'a cada dia se reinventando e começando algo novo'


eu axo que isso deveria ser o mínimo.
o lema de todo dia de todo mundo.

mas não da pra pensar que o passado nao influencia neh?! pq a gente paga pelas coisas q fez.
nossos atos refletem no nosso futuro; de certa forma.

aaaah, eu axo que essa tua fase que tu sente saudade é a fase que eu to vivendo agora. e tbm a fase da depressão e dos amigos;

espero profundamente que eu nao sinta saudades.

mas que eu continue convivendo com esses meus amigos.
que eu continue feliz.


No fundo, no fundo, a gente eh feliz e não sabe.

e pra ser feliz, a gente não precisa nada além de sermos honestos conosco mesmo.

adorei teu blog tbm.
vou linká-lo!