Eu quero sempre mais...

"Eu sempre quero mais que ontem
Eu sempre quero mais que hoje
Eu sempre quero mais do que eu posso ter"

(Mais, Capital Inicial)

Estava para escrever esse post a um bom tempo, mas por algum motivo ele ficou em stand by desde junho e só agora, depois da aula de quinta-feira passada ele resolveu que iria sair do meu cérebro para vir habitar o mundo das postagens desse blog.

Digressão à parte, tem uma música do Capital Inicial que sempre me fez pensar no quanto eu sou como ser humano sou insatisfeito com tudo.

Existe um momento na música que ela repete essa estrofe que eu usei como epígrafe, três vezes seguidas. De fato parece-me que nós somos assim... nada para nós está bom, sempre queremos mais, e mais, e mais...nunca sossegamos com o que temos. Eu me sinto assim e sei que todo mundo é assim. Tem horas que eu tenho a noção de que estou sempre "cantando o novo hino dos descontentes", outra frase que está contida nessa música.

Nunca estamos satisfeitos! Eu nunca estou satisfeito! Sempre quero um emprego melhor, uma casa melhor, queria professores melhores, o meu curso podia estar melhor, enfim, tudo é motivo pra descontentamento, insatisfação. É estranho, é chato pra caramba, mas no fundo tem a parte boa disso tudo.

Na quinta-feira passada, minha professora de Introdução à Pesquisa em Ciência da Informação*, disse que os cientistas de qualquer área, principalmente das humanidades, são eternos insatisfeitos, no fundo, até insuportáveis porque sempre estão buscando novas e novas coisas. Isso também se aplica aos cientistas das áreas das exatas e das biológicas, com certeza, porque, apesar dessa eterna insatisfação, nossa vida só melhora a cada dia, cada vez que alguém resolve estar insatisfeito com tudo o que já foi pesquisado e ir em busca de algo novo.

Diante desse panorama, acabei pensando que a tal insatisfação num era de toda má, aliás, tinha um lado muito bom , porque, por exemplo,
ja parou pra imaginar sua vida hoje sem a eletricidade, a telefonia, a internet e outras diversas comodidades que foram frutos da insatisfação de tantas pessoas? Hoje você não poderia falar com outra pessoa do outro lado do mundo e sequer assistir às Olimpíadas de Pequim, por exemplo.

A insatisfação, no final das contas é o motor que nos impulsiona a ir adiante e buscar sempre ser mais e melhor. Imagine que seria de nós se a gente tomasse o comodismo por regra? Em que estágio da evolução humana estaríamos a uma hora dessas?

AbRrá!


--------------------------
* Ciência da Informação - Área das Ciências Humanas Aplicadas que trabalha com as disciplinas que lidam diretamente com a informação e seus mecanismos correlatos. Nessa estão incluídos a Biblioteconomia, a Arquivologia e a Tecnologia da Informação.

18 commenti:

Lelli Ramz { 9 de agosto de 2008 16:10 }
Eu quero sempre mais... pq o que tenho jah eh ótimo... e maravilhosamente... mais.. será ainda mais ops.. ótimo..

beijos Lelli
Latinha { 9 de agosto de 2008 20:36 }
Amigo,

Na qualidade de "fiote de pesquisador", eu devo concordar com tua linha de raciocinio... é a eterna insatisfação (e porque não um pouco de vaidade e orgulho) que nos move buscar novas soluções e caminhos.

Agora, minha porção Pollyana... sempre me diz que sempre devemos parar um pouquinho e prestar a atenção em tudo o que temos... apesar da insatisfação com um bocado de coisas... sempre há um detalhe, um gesto... algum fator que nos faz mesmo insatisfeitos a continuar caminhando e quase nunca paramos para reconhecer isso. ;-)

Abração! e já estava com saudades de passar por aqui.
Filipe Garcia { 9 de agosto de 2008 21:27 }
Isso me faz sentir muito ingrato. Ingrato com o que tenho, com as coisas que já conquistei, com os momentos que vivo porque assim permiti. Nossa insatisfação está muito ligada à ambição, ao desejo ardente de querer o melhor, o mais cômodo, o mais luxuoso. Mas é essa nossa ambição que move os sonhos, as conquistas, as vitórias. E, por um lado, essa ingratidão acaba tendo seu lado bom.

É isso, Luifel. Seu texto me fez pensar. Gosto disso, raridade nesse mundo de blogs.

Abraço.
Leonardo Werneck { 10 de agosto de 2008 02:02 }
Ah, eu te ajudo no refrão dessa música, faço parte dos descontentes também. Concordo com vc que não é ruim em ser assim. Querer sempre mais nos impulsiona sim a vencer obstáculos, nossos próprios limites, nos deixa sempre com alvo. Acho isso válido demais. Triste seria se não tivessemos metas pra alcançar, obstáculos pra ultrapassar. Triste seríamos se tivessemos tudo facilmente. Né?

Eu também quero sempre mais.

PS: Já ouviu a música de mesmo título do grupo ira? legal também.


Abraços
Flor { 10 de agosto de 2008 16:44 }
a gente qr mesmo...

Luifel... oq significa AbrRá? no final dos seus posts?
beiju e boa semana!
Clecia { 10 de agosto de 2008 21:21 }
Pura verdade! Queremos sempre mais mesmo! Nunca estamos plenamente satisfeitos! E sempre que conseguimos algo, logo arrumamos uma outra coisa para querer, né? rs Bjos e uma ótima semana!
♥ღ♥ Joh ♥ღ♥ { 10 de agosto de 2008 21:40 }
e viva a nossa inquietação! olhando por esse lado, tbm comecei a ver pontos positivos por também ser inquieta e nunca satisfeita com as coisas!
até mais! bjão!
Camila { 11 de agosto de 2008 08:28 }
MeninoooooOOO
Fui sábado a um show do Capital e pirei quando tocaram essa música... eu simplesmete a AMOOOO!
Eu também sem´re quero mais!
=***
felipe { 11 de agosto de 2008 08:52 }
Concordo com você. Se acomodar é um passo para o fim. Ambição na medida certa é que faz o progresso. E eu adoro essa música do Capital.
Abraços
Felipe
Pedro { 11 de agosto de 2008 13:42 }
A insatisfação é que gera a mudança.
Míope { 11 de agosto de 2008 22:28 }
Querer mais não é de todo ruim.
É só agradecer o que já se tem, e buscar mais.

Comodismo é o mal do século, então, avante!

Abç!
Mariana { 12 de agosto de 2008 10:26 }
Eu nunca NUNCA! estou satisfeita....

principalmente em relação a conhecimento.. sou sedenta de leituras, livros, aprendizados...

beijos!!
Raposa { 12 de agosto de 2008 16:24 }
Mas é... Não conheço absolutamente ninguém que esteja completamente satisfeito. Até vi um caso de uma garota que reclamava porque as amigas a achavam feliz de mais. Enfim. Estar instatisfeito pode ser algo positivo quando a pessoa está disposta a se esforçar para mudar a situação causadora de insatisfação, porém o que mais se vê hoje é gente que só sabe reclamar. Reclama que a televisão só passa porcaria, reclama que só tem político ladrão, reclama da chuva quando chove, do calor quando tá quente. Que nem uma colega de trabalho que reclama do frio que faz na sala onde trabalhamos mas sempre vem de roupa fresca, sem nenhum casaco. E os computadores que torrem, e nós que passemos pelo calor cozinhante do Rio de Janeiro, não?
Insatisfação é uma faca de dois gumes, e talvez o motivo principal pelo qual uma pessoa nunca "é" feliz, e sim "está" feliz, até que uma nova insatisfação surja.
Palavras de um mundo incerto { 12 de agosto de 2008 21:38 }
Oh, irmão, valeu pelo comentário bacana.

Agora estou sem tempo para ler sua escrita, mas eu volto.

Vou linká-lo, para não perder sintonia com palavras expressas com tamanha sinceridade.

Abs



Marcos Seiter
Ariana { 12 de agosto de 2008 22:22 }
Eu também quero sempre mais!
Acho que uma pessoa sem ambição não vai pra frente!rs
(claro que tem q ter limites)

beijo
carla m. { 13 de agosto de 2008 22:31 }
Luifel, querido,

sobre Dogville, acho que tu vai gostar mais dele quando ele terminar, é aquele tipo de coisa que a gente gosta mais depois de ter visto e não durante, rsrsrsrs. mas bom filme pra ti!

sobre inquietude, pode ser a melhor característica de uma pessoa e ser o inferno dela! eu cada vez mais entendo isso na pele. mas dizem que é maravilhoso quando se aprende a viver com ela. juro que eu acredito, quase 99% do tempo, mas tem 1% do meu dia em que eu queria não me inquietar tanto!

E como o que é um maremoto na individualidade vira uma gota de chuva na coletividade, em geral, a humanidade deve quase tudo há inquietude alheia.

tomara que a minha gere algo que seja útil!

beijocas!!!
The Life of Guister { 14 de agosto de 2008 00:37 }
Tá eu demorei pra postar, não queria demorar tanto mas quem sabe não fecho o tópico??? hehehe Bem lá vai...

Pois bem, eu sempre via antigamente as coisas como certo/errado, bom/mau, feio/bonito, e por aí vai...
Afinal eu compreendi que vivemos em um mundo dualista na matéria, tudo tem seu oposto, e enquanto acreditarmos em um dos lados da moeda, o outro lado sempre existirá e aparecerá em nossa vidas para nos lembrarmos do que estamos vivendo...

Sabe aquelas coisas, sempre quando vc está todo feliz da vida, acontece uma desgraça? Bem é para vc lembrar o que é felicidade, afinal nós nos acostumamos com TUDO e acabamos não dando valor e querendo sempre mais...

Agora quando compreendemos que no nosso mundo as coisas sim são duais, mas que são necessárias que sejam duais, não nos afetamos tanto mais com as desgraças, e valorizamos mais as pequenas coisas, e nos contentamos com o que temos... Mas quer dizer então que passamos a não mais evoluir?

Claro que não, pois a evolução humana está na ambição de crescimento que é inerente a todos a partir do momento que surgimos na Terra, a evolução material, espiritual, financeira, todas praticamente, são provenientes de nossos genes que também evoluem a cada multiplicação celular...

Portanto eu creio que se não podemos ser felizes com o que temos, e procuramos ter mais e mais, é pq ainda nos afetamos drasticamente com situações negativas e por mais que tenhamos tudo que sempre almejamos, acabamos incontentes e sempre sofrendo desgraças...

Ai ai, humanidade tola... (e eu ainda estou nela, mais tolo eu! hahahah)
Ultra Violet { 14 de agosto de 2008 14:53 }
Pois engrosso o coro ao cantar o hino dos insatisfeitos!

Mas, viver é assim mesmo. No dia que estivermos satisfeitos com tudo, a gente morre porque não terá mais nenhuma razão acordar todos os dias e lutar pelos seus desejos.

Quem está sempre satisfeito com tudo, se acomoda. Eu sempre quero mais.

Bjs.