Fala comigo, mar, fala!

"Parle, o, parle, mer, parle
Sea, speak to me, speak
to me, your silver you light
Where hole opened up in Alasca
Gray - shh - wind in
The canyon wind in the rain
Wind in the roling rash
Moving and weld
Sea
Sea
Diving sea."

(The Sea. In: Big Sur, Jack Kerouac).

Estou cansado de tudo! Parece que não nasci pra ser feliz como as outras pessoas. Todos muito bem no quesito profissional e eu aqui ainda sendo escravo desse sistema. Agora são 22:00hs e estou nesse shopping center, trabalhando como um condenado para cumprir essa meta de vender tanto, bater meta todos os dias...

Já fechou o shopping. Estou indo pra casa. Olhe aquele casal de namorados; bem que podia estar namorando também, mas, sou tão tímido, só consigo gaguejar quando chego em alguém. Quem dera eu fosse mais desinibido! Definitivamente eu não nasci pra ser feliz também nesse aspecto. Acho que vou ter que ficar solteiro, pra sempre... É a vida!

Sabe, cansei de amar e não dizer... Por que sou tão sem graça? Ninguém nem mesmo nota a minha presença... eu sou um ser desinteressante mesmo. Sabe, as pessoas não tem qualquer respeito pelos outros e agem como se vivessem com amebas, mas estou vivendo, eu vivo! Tenho muito medo de terminar minha jornada solitário e infeliz.

Cheguei em casa. Essa rua é tão estranha. Vou dormir e amanhã vou pra praia. Preciso desanuviar meus pensamentos...

Estou na praia. O dia está muito lindo! Estou agora andando no calçadão. Sol, mar, gente bonita e eu, sozinho como sempre. Mas... olha aquela menina ali... linda, corpo perfeito, mas ela nem vai me dar bola... Estou andando, ela está se aproximando. Ela é realmente muito linda, perfeita, mas um cara como eu, francamente!

Hei, ela me olhou! Não me canso de comtemplá-la, mas ela está com a amiga e eu num posso chegar... levar um fora assim é foda! Pense no micão que eu vou pagar na praia em pleno domingão. Ela continua caminhando... Já está longe. Melhor sentar na areia e recitar Kerouac já que ela se foi. Como sou idiota!

-- Parle, o, parle, mer, parle/
Sea speak to me, speak...


Alguém tocou no meu braço. É uma mão feminina...

-- Com licença, posso sentar do seu lado?
-- É... é... pode... é claro que pode!

11 commenti:

caicko { 15 de agosto de 2008 21:04 }
E o dia de hoje é de auto-açoite... haja dor pra tanta alma, haja calma pra sanar. Parabéns pelo texto.

ALBERGUE MENTAL
http://caioalbergue.blogspot.com
Dani { 15 de agosto de 2008 21:54 }
A música é do cd dos tribalistas.

Bjs
Srta Diazepan { 15 de agosto de 2008 23:02 }
pode acontecer coisas boas quando vc menos espera... é só viver pra ver :o)

beijocas e bom findi
♥ღ♥ Joh ♥ღ♥ { 16 de agosto de 2008 01:40 }
tbm me sinto tão sem graça! ser extremamente tímida me deixa mais sem graça ainda! ver as pessoas namorando e a gente lá, seguindo sozinho! tbm morro de medo da solidão! mas parece um teste para superar esse medo! me senti no seu texto! sem final feliz!
Anônimo { 16 de agosto de 2008 09:03 }
PARABÉNS! O estar sozinho entre tantos...
bjs
LHISS
Anônimo { 16 de agosto de 2008 10:42 }
"Sabe, cansei de amar e não dizer"

Isso acontece comigo todos os dias =/

Parabens, lindo d+
Filipe Garcia { 16 de agosto de 2008 11:24 }
Ninguém é desinteressante demais que não valha a pena ser conhecido. Eu também tenho esse sério problema de timidez, nem me arrisco. Pelo menos o personagem teve a sorte da companhia feminina, rs.

Abraço
The Life of Guister { 16 de agosto de 2008 12:54 }
Ahhh eu acho muito estranho um ser humano dizer que está só em um mundo com 6 bilhões de pessoas... Não estou negando o fato de sentir-se só, mas poxa, com tantas pessoas como alguém pode não perceber que sempre tem alguém para ele(a)?

Bem conheço sempre pessoas assim, sempre converso (e convenço) que não podemos ser assim, que o mundo é muito mais bonito do que parece, basta mudarmos nossa visão quanto a isso...

Mas de que adianta? As pessoas são viciadas neurologicamente em substâncias que só são liberadas quando elas estão solitárias e depressivas (sim isso é científico e verdadeiro) portanto elas criam situações à sua volta que concluem-se em solidão e até muitos depressão...

O ser humano complica o que é simples e venda-se para as cores e belezas reais em seu entorno.

Gostei muito do conto, Congrats pra vc ^^

Abração meu caro padrinho...
Palavras de um mundo incerto { 17 de agosto de 2008 00:39 }
Eba, viva a Epifania!!!

hehehe

Bah, coisas que acontecem na vida não tem hora, data marcada e nada.

Fiquei lembrando de algumas situações que vivi quando era mais guri. Gago eu era campeão.

Sorte que eu era atencioso.
hehe


Abs


Marcos Seiter
Mr. Goldfajn { 17 de agosto de 2008 13:14 }
Sabe, meu caro.... por vezes me sinto como um expectador de um filme chamado "Minha Vida". Ponho-me também a pensar sobre minhas atitudes, buscando prever suas conseqüências. Mas sabe de uma coisa, uma velha sra me disse uma vez quando fui fazer serviço social num asilo: "Meu jovem, a gente pensa demais na vida. E acaba agindo pouco. Talvez se agíssemos mais sem pensar tanto, as cores seriam mais vibrantes, os sons mais cheios de vivacidade e os sabores, mais agradáveis. De vez em quando, eu penso nisso...
Latinha { 17 de agosto de 2008 15:21 }
Meu amigo...

entendo bem o que dizes... MAS, se tem algo que tenho aprendido nos ultimos anos... é que cada coisa tem seu tempo.

E seu tempo virá... ninguem nasceu para ser só... a menos que seja por opção. Tenha calma, mantenha-se "a direita" e deixa as coisas seguirem teu rumo. Procure trabalhar o que tem para ser melhorado... e esteja pronto...

Um dia o amor vai bater a sua porta! ;-)

Abração!