Una umanità faticata...


"Que cesse toda vingança, todo apelo ao castigo e à retribuição.
Os crimes ultrapassaram toda medida, todo entendimento.
Há mártires demais..."

(Oração anônima escrita em iídiche, encontrada em Auschwitz-Birkenau)

Outro dia, catalogando documentos na biblioteca, encontrei dentro de um livro, que falava sobre a paz, essa oração que estava no posfácio. Quem lê essa oração na integra percebe que é a oração de uma pessoa que está, certamente, fatigada de tanta violência, sofrimento, destruição...

De fato, o que presenciamos hoje é, verdadeiramente, a destruição da humanidade. Ontem, o programa da TV falava do temor dos cientistas de que um asteróide venha a cair na Terra e causar uma destruição de parte da humanidade, ou talvez de toda ela, mas, eu me pergunto se nós mesmos não nos destruiremos antes mesmo que venha um tal asteróide e faça isso conosco.

A humanidade está sendo dilacerada por guerras imensas por diversos motivos: étnicos, religiosos, culturais, vemos o quanto a vida humana esta sendo desrespeitada. Clara e visível é a falta de amor que reina no coração do homem. Aqueles que foram criados por Deus para cuidarem da sua criação, hoje, não mais destroem somente a natureza, mas estão destruindo-se a si mesmo. E a humanidade está cada dia mais fatigada...

A humanidade está cansada! Cansada das guerras, das destruições, das divisões, da discórdia, da violência, da dor, da miséria. É lastimável a situação em que vivemos atualmente; tudo está sendo motivo para discórdia, absolutamente tudo: negros lutam contra brancos, cristãos contra muçulmanos, socialistas contra captalistas... A humanidade, porém, cansada disso tudo, clama por paz e vive em guerra, um paradoxo. Vivemos esse paradoxo porque,infelizmente, acreditamos muito naquele dito romano que dizia: "Se queres a paz, prepara-te para a guerra"; porém, a paz, que é segundo a tradição judaica, a plenitude da prosperidade, justiça, sabedoria e uma imensa sorte de dons, nunca será conseguida com a guerra. A guerra nunca trará a paz e a humanidade fatigada anseia por paz.

Uma humanidade fatigada clama por socorro. É preciso ouvir a voz de pessoas como esse anônimo e buscar saciar essa sede de justiça, não com a guerra e a violência, mas com a reconciliação e a paz. O grito não é só desse anonimo é meu também, porque também eu estou cansado de tudo isso. Estou cansado de tudo o que está acontecendo, queria viver num mundo melhor.

Acredito que somente através da reconciliação que isso pode ser dar. É preciso que aprendamos a conviver com os outros, tolerar seus defeitos e aceitar as diferenças. É precisa aprender que as divergências existem para enriquecer e não para dividir. Para mim, esse o único caminho que se pode trilhar para salvar a humanidade dessa catástrofe que vivemos, catástrofe essa que certamente é maior que qualquer asteróide que nos ameaça, pois o asteróide pode ser desviado de sua rota, mas vidas perdidas não voltam mais, nunca!

AbRrá!

13 commenti:

Pedro { 4 de agosto de 2008 18:55 }
Paz é o que todo mundo quer, mas pouquíssimos fazem por onde.
Luiz Guilherme { 4 de agosto de 2008 18:58 }
Eu infelizmente meu caro amigo terei de discordar sobre o comentário sobre o dito romano... O ser humano, como na maioria das vezes, dualista, apenas vai sentir a paz se souber o que é a guerra, eu acho muito bem contextualizado este dito romano... O ser humano só sabe o que é amor depois que descobre o ódio, só sabe o que é felicidade, depois que descobre a infelicidade e assim vai...

As pessoas estão acostumadas aos opostos e como em todo filme da sessão da tarde que se preze tem a moral final: "O bem não existe sem o mal" pois bem, é isso mesmo, as pessoas vão ficar nessas lutas eternas de opostos até entenderem sobre neutralidade...

Se bem que para muitos a neutralidade é tão blasé que preferem esses atritos dos antônimos... Assim tem do que reclamar ou do que regozijar ^^

Espero que tenha me feito claro...

Abração
Ariana { 4 de agosto de 2008 19:28 }
PAZ! Só precisamos dela pra viver bem!

Tem selinho pra ti no meu blog!@


Beijo
Raposa { 4 de agosto de 2008 20:20 }
Concordo com tudo o que dizes, realmente a humanidade é o maior predador dela própria. As chances são de morrermos por culpa própria antes que alguma intervenção cósmica venha nos afligir. Não há mais respeito por nada nem por ninguém. Conhecido meu que me disse enquanto passávamos por uma ponte cheia de gente morando embaixo "somos nós contra eles, aqueles que vivem na sociedade e aqueles à margem, quem segue as regras e aqueles que burlam todas as regras, conceitos e morais." Mas ele esquece que tanto nós, que tivemos sorte, quanto aqueles de baixo da ponte, somos seres humanos, e temos o mesmo direito de existir, de sobreviver. Ninguém merece ser ignorado pela situação social na qual nasceu ou na qual se enfiou fruto de más escolhas, mas é mesmo uma guerra, de cada um tentando defender o seu, e esquecendo que se nada for feito, também fará parte da nossa herança aos nossos filhos aqueles mesmos indigentes a quem viramos o rosto... Lamentável...
Míope { 4 de agosto de 2008 20:59 }
"Paz sem voz não é paz, é medo".

Só falta ação.
Abç!

P.S.: Cara, você tem uma das profissões mais interessantes do mundo.
Se eu trabalhasse numa biblioteca eu ia ler tudo, com certeza.
Talvez eu conte... um dia. { 5 de agosto de 2008 00:30 }
Luifel, eu até concordo contigo em muitas coisas que falaste, todo mundo precisa de paz pra conviver.
As pessoas estao cansadas de guerra e blá blá blá, mas tu já paraste pra olhar ao teu redor?
Nao to falando de guerra no contexto, mas uma guerra fria; as pessoas só sabem falar mal dos outros, dos seus gostos, da leitura, dos autores, que certa música é isso ou aquilo, que uma religiao é melhor que a outra, e por ai vai....
Mas só lembram que a gente quer paz qnd morre milhoes de pessoas ou quando assassinatos sao notificados pela Tv. A verdade é que pra tentar amenizar nossa situaçao, temos que começar de pouco; pq o buraco é mais enbaixo.

Enquanto as pessoas nao deixarem de ser prepotentes a ponto de achar que podemos criticar uns aos outros, nada vai mudar.

Acho que pra atrairmos a paz, temos que primeiro aprendermos a usar aquielo que chamamos de RESPEITO.



E pooooxa, nem quis fazer invejinha viu? Mesmo pq faz bem fugir um pouco dessa tua poeira, vaaamos comigoo!! ahaha
beeijos
Camila { 5 de agosto de 2008 12:00 }
Paz sempre é a melhor opção!
Paz!
É o que todos nós precisamos!
=)
Belo post!
Beijão
Janete Andrade { 5 de agosto de 2008 14:38 }
nada justifica a violência. mas sei lá os 'motivos' de violência são tão torpes, as pessoas brigam por qualquer coisa, tanta violência por nada...
Srta Diazepan { 5 de agosto de 2008 23:17 }
a criatura que divide ap comigo veio hoje me dizer que dia 08.08.08 o mundo vai acabar, que é um tal de dia apostólico ou qquer merda dessa.

...

sabe o que tá faltando no mundo? Esperança. Só assim a gente sai da lama. A gente tem que acreditar que as coisas vão melhorar e fazer a nossa parte. Sempre!Parar de arranjar culpados e achar soluções e acreditar nelas.
Essa é a saída.

ps: e claro, uma boa bucha na boca da criatura pra parar de falar besteira...*rs
Lizzie { 6 de agosto de 2008 16:32 }
Você chegou ao mesmo ponto que eu: a chave é a reconciliação da humanidade com ela mesma. Amar mais os nossos semelhantes sem vulgaridade, sem morbidez, sem distinção, sem milésimas intenções, sem preconceitos.

"O homem é o lobo do homem", né? Pois que deixe de ser.


Beijocas,
www.lizziepohlmann.com
Flor { 6 de agosto de 2008 19:28 }
todos estamos cansados... de violencia, de falta de amor... essa mudança precisa começar dentro de casa... esta dificil!
beijo
Dani { 6 de agosto de 2008 20:12 }
Num mundo tão cheio de desigualdades e injustiças é difícil até se confiar nas pessoas. Vivemos com medo e estressadas e ser multiplicador da paz está cada vez mais difícil.
Bjs
carla m. { 6 de agosto de 2008 22:02 }
Luifel, querido,

é tão difícil perdoar, pra reconciliar... a gente precisa tirar o sentido de algo que em algum momento nos movimentou. se desapegar de coisas que motivam ou motivaram.

desconfio que seja muito mais complexo que o nosso cansaço, e acho que pode motivar, mas é preciso gostar de desafios.

beijos!