Tanta asneira, tanta invenção, tanta sandice...

“Como é que eu consegui fazer isso?” Aula do meu professor de Sabedoria Proverbial Chinesa lendo uma frase do seu segundo autor preferido, Kurt Vonnegut.

“Eu não seria capaz de fazer isto, mas respeito as pessoas que fazem, para elas é normal”. Conversa com o meu amigo bibliotecário no ônibus, mesmo dia, sobre ‘Incesto’.

A capacidade humana é algo surreal. Podemos um dia amar, no outro odiar e ainda no outro se reconciliar. Podemos construir uma casa, um palácio, uma cidade, mas acabar com o mundo! É incrível como coisas que foram escritas, feitas, ditas parecem, de hora pra outra, que não foram feitas por nós. Olhamos muitas coisas que fazemos e fizemos e dizemos realmente: Como é que eu consegui fazer isto?

Mais acertamos do que erramos? Ou erramos mais do que acertamos? Muitas vezes... [que mentira! É sempre], mudamos ao sabor dos ventos. Somos mutáveis porque somos livres. Liberdade! [Será que é isso mesmo?].

Antigamente éramos uma coisa, hoje não sabemos quem somos. [Isso sempre acontece!] Voltando na conversa que tive na sexta: “Antigamente as crianças compreendiam Monteiro Lobato...hoje se você der ‘Reinações de Narizinho’ para uma criança ler, ela não vai entender nada...”. Hoje posso e amanhã não posso mais, aliás, não consigo mais...andei pra trás? [Num sei, mas se eu não regredi, algumas pessoas, regrediram!] Como é que eu consegui fazer isto? E porque não consigo fazer isto agora? [Regressão, realmente? Não! Progressão Continuada]

Antes pensava diferente de hoje, hoje penso de uma forma, amanhã poderei pensar diferente. Sou capaz de fazer hoje, amanhã já posso não ser ou por convicção ou por incapacidade ou sei lá porque. Amanhã, me torno meu próprio Tomás de Torquemada, o grã-inquisidor espanhol de mim mesmo e me condeno: Como é que eu consegui fazer isto? Como é que eu pude fazer isto? Por que fiz isto?

Será que eu sei o que sou capaz de fazer? Do que realmente sou capaz? Por que a gente é assim?

Rrá!

[Post escrito em 23.04.07]

19 commenti:

Pedro { 2 de setembro de 2008 21:40 }
Vai dizer que não é mais divertido sermos, enquanto humanos, esse grande conjunto de paradoxos?
Mariana { 2 de setembro de 2008 22:23 }
o que mais gostei daqui

Podemos um dia amar, no outro odiar e ainda no outro se reconciliar.

pura verdade...


o ser humano pode fazer de um tudo....

beijos
Filipe Garcia { 2 de setembro de 2008 22:47 }
Complicado isso de "decifre-nos". Legal é ser assim: complexo. Se não fossemos tão profundos, seríamos semelhante a uma planta. Daí o fascíneo do ser humano. Não há ciência que o explique.

Boa a reflexão!

Abraços
Camila { 3 de setembro de 2008 10:44 }
Todas essas questões são essencias do ser humano, né!
Mudanças a adaptações fazem parte de nosso cotidiano!
Felizmente, eu penso!
BeijoooOO
Flor { 3 de setembro de 2008 13:34 }
Somos todos muito complexos... e estamos em constante mudança... essa é a graça de existir!
As vezes paro pra pensar... e vejo a necessidade de mudar sempre...
senão seria muito chato viver!
imagina o tédio do mesmo....
beijooo...
ps. fica sussegado que nao vou entregar meu coraçãozinho pra ninguem, nem fazer alguem sofrer!
Ultra Violet { 3 de setembro de 2008 14:22 }
Sabe que eu não sei?

A mente humana é tão complexa. E a impermanência das coisas, faz a roda da vida girar. A gente acha q se conhece e quando vê, no calor das emoções tomamos atitudes tão impensadas e inesperadas. Mas, se tudo fosse tão previsível, nem teria graça.

Bjs.
Míope { 3 de setembro de 2008 19:23 }
Os humanos são imprevisíveis.
Ser é uma verdadeira aventura.

Gostei da prosa.
Abç!
Latinha { 4 de setembro de 2008 00:42 }
Rapaz...

Eu que o diga... a verdade é que nem nós sabemos do que somos capazes. Talvez a graça disso tudo seja deixar o tal do "juizo" de lado (que muitas vezes funciona como algemas para nós) e deixarmos seguir pelos caminhso da vida.

E "a ocasião faz o ladrão!" ;-)

Abração!
Welker { 4 de setembro de 2008 15:20 }
Questões sobre os humanos me fazem sentir mal. Quer dizer, sou humano e não faço a menor idéia do que sou, o que penso e por que faço tantas perguntas...

Aliás, também me impressiono com as coisas que faço... e pensar que a minha mente tão limitada pode entrar num "berserk" criativo as vezes.
Karine Leão { 4 de setembro de 2008 15:20 }
Olá, vim visitar pela primeira vez e gostei muito!

Creio que o ser humano desconhece seus limites e capacidades... nem imagina o que pode ou não fazer, depende muito do momento, circunstâncias, teor alcóolico (risos) e etc.

Aguardo sua visita!

Beijos!
Quase Trinta { 5 de setembro de 2008 15:30 }
Acho que esse é o grande "barato" da vida... as mudanças. A capacidade do ser humano tem de se adaptar, de errar, acertar, chorar, rir....
Confesso que não sei o q sou capaz de fazer e até tenho medo de fazer... as vezes minha mente é um pouco insana.

Q bom q apareceu no meu blog... será sempre bem vindo por lá.
beijos e um excelente final de semana
Raposa { 5 de setembro de 2008 16:10 }
Não existe o que é certo ou errado, pois como o mundo evolui, ou involui, os conceitos mudam.
Acho que o importante é levar bronca vez ou outra da própria consciência e depois de algum tempo poder voltar a abraçá-la como se nada houvera acontecido. Auto-aceitação, sabe? Aceitar que as coisas mudam, até estátuas, e seriamos pior que elas se não tentássemos mudar, nos adaptar a novas idéias.
Clecia { 5 de setembro de 2008 21:13 }
Oi! Somos assim mesmo, feito de paradoxos. Àsvezes olhamospara trás e não nos reconhecemos. Obrigada por mais uma visita e desculpe-me a demora em retribuir. Estava doente estes dias e por isso não deu para visitar os amigos. :) Espero que tenha um ótimo fim de semana!Bjos!
Palavras de um mundo incerto { 6 de setembro de 2008 21:12 }
Irmão, nós humanos, somos mais esquisitos do que qualquer bicho nunca visto por alguém.

Abs e bom domingo!!!


Marcos Seiter
Jú Carvalho { 6 de setembro de 2008 22:40 }
Tudo é efêmero...
E espero q sempre seja, até o sempre não ser,perderia toda a graça, apertar o pause do controle remoto do ciclos(ou linhas, ou cordas rs) da vida!

Eu acho q ngm sabe o q é capaz de fazer até fazê-lo ^^

Adoro essas aulas que rendem pos paradoxais, complexos e qs absurdos.

ADOREI isso aki ;)
felipe { 8 de setembro de 2008 06:30 }
sabe por que gosto de vir aqui?
sempre aprendo alguma coisa com suas citações e seu grande conhecimento literário.
Parabéns sempre.
E como diria uma música do Barão Vermelho: então, por que que a gente é assim? acho que explica tudo.
abraços

Felipe

www.muitoadeclarar.zip.net
Aline { 8 de setembro de 2008 14:58 }
É incrível a capacidade dos humanos de "desdizer" e desfazer atitudes que antes julgavam sagradas, e dpois profanam sem dó nem piedade. Algumas vezes a mudança é boa, outras vezes desastrosas, mas eu sou daquelas que não julga quem muda ou quem comete atos "estranhos" aos meus olhos, entretanto aborreço alguns atos inescrupulosos, como o incesto.
Bjm, vou te linkar, tá bem?
PULCRO { 8 de setembro de 2008 18:09 }
O ser humano...
Ser e Não Ser Humano.
Imprevisível.

http://pulchro.blogspot.com/
The Life of Guister { 14 de setembro de 2008 19:32 }
Ô meu padrinho querido... Poxa quanto tempo que não venho pedir a bênça neh??? Pois bem estou aqui novamente, as turbulências da vida passaram e estou mais tranqüilo para inspirar-me no meu querido padinho Luifel ^^

Então meu caro, eu concordo com o fato de não sermos nunca os mesmos que antes, isso demonstra evolução, nem sempre benéfica é claro, mas sim uma evolução, e é nessas evoluções da vida que aprendemos, pois imagine a estagnação como seria de uma forma até retrógrada à nossa espécie, que evolui tão rapidamente...

Quando cita os livros de Monteiro Lobato, sim eu os li, amei e talz, mas creio que com a mente que as crianças já vêm hoje, estes valores ensinados nos livros dele não são importantes pois a própria família afasta este tipo de ensinamento e por isso eles não se empolgam com as histórias e talz...

Mas a vida é assim, aí os professores que se virem para ensinar além dos conteúdos básicos, estes valores de moral e respeito ao próximo, ética e tudo mais...

Mas gostei bastane do post, continue sempre assim ok meu padrinho???

Abração (Nossa de Abrá, Abrrá, agora é só Rrá?)