Uma carta que nunca remeterei

"Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma
outra razão para amar senão amar.
Que queres que te diga, além de que te amo,
se o que quero dizer-te é que te amo?"
(Fernando Pessoa)


É estranho pensar que estou assim. Não! Parece que tudo parou por causa de você, e de fato, parou mesmo. Passaram-se mais de 3 anos e eu acreditei que tudo isso já tinha sido superado, mas não foi. Feliz ou infelizmente, como diz Pascal, "o coração tem razões que a própria razão desconhece".

Você não é a mesma e e eu não sou mais o mesmo também. Estamos diferentes, afinal, por menos que pareça, 3 anos são muito tempo. Seria estranho confessar para alguém sobre isso. É doloroso pra mim confessar que ainda amo alguém que não pode me amar. Sua vida é totalmente diferente e você mora muito longe agora.

Sei que você está feliz, na última vez que conversamos a sua felicidade estava estampada na sua voz, linda e doce, que ainda mexe comigo profundamente. Essa carta nunca vai chegar nas suas mãos por um óbvio motivo: eu não vou remeter. Ainda sinto meu coração bater mais forte quando algum amigo que temos em comum me fala de você, que teve contato com você, sempre pergunto sobre você e você sabe o quanto você foi e é uma personagem importante na minha vida.

Você me ensinou o que era amar no sentido mais completo e verdadeiro da palavra e do sentimento. Conversar com você ao telefone era mágico. Tomar um sorvete, nos meus momentos de falta de dinheiro era perfeito. Você é uma moça surreal e linda, por dentro e por fora, por isso que eu me apaixonei por você.

Mas tudo passou! Não dá pra viver de gotas de momentos que não voltam mais. Tudo acabou por um motivo que acreditamos ter sido divino, um chamado para a sua vida, eu não poderia acompanhar. Meu chamado era outro, minha vida tinha que seguir por um rumo paralelo ao seu, mas não o mesmo, só um pouco parecido.

Hoje, pela manhã, 3 meses depois de ter falado com você pela última vez acreditado que tudo passou, descobri que eu vivi um engodo. Eu ainda a amo, como se todo esse tempo não tivesse passado e não vou parar nunca de te amar...

10 commenti:

Aline { 22 de setembro de 2008 17:28 }
É querido colega, felizmente vcs souberam que era hora de cada um seguir sua vida, algumas pessoas teimam em continuar juntas mesmo qdo já não há esperança, porém a teimosia faz com que o que era belo, torne-se massante e um caminho de sofrimentos.

Linda sua carta e mais ainda o sentimento contido nela.

Bjnhos
Ultra Violet { 22 de setembro de 2008 22:15 }
Ai essas cartas que nunca sao lidas. Acho um pecado , pq quando estamos longe , parece que ficamos menos temerosos de dizer o q realmente se passa no coracao.

Amae eh tao simples e ao mesmo tempo complicado.

Bjs.
carla m. { 22 de setembro de 2008 22:44 }
É hora, não é bom viver no pretérito perfeito amigo, né?!

sei bem como é querer o que poderia ter sido, vivo assim...

e falando em pretérito perfeito, passa lá no Dos Crimes, é um pouco de pretérito perfeito também.

beijo
PULCRO { 22 de setembro de 2008 23:45 }
Confesso que esse texto me tocou profundamente.
:'(
Leonardo Werneck { 23 de setembro de 2008 03:58 }
Deveria mandar a carta brother
Quase Trinta { 23 de setembro de 2008 15:07 }
Escrevi uma carta assim.. um dia antes de vc e publiquei no blog, só q tb a enviei a pessoa...
Sei exatamente como se sente....
bjs
Palavras de um mundo incerto { 23 de setembro de 2008 21:42 }
Meu irmão, é triste isso. Sei muito bem o que tu sente.

Aprendi a suportar isso e seguir minha vida. A vida dá voltas e voltas. O Amanhã não se sabe. Bola pra frente que algo de belo está te esperando.

Abs


Marcos Seiter
carla m. { 23 de setembro de 2008 22:08 }
Lui, sei como é complicado, eu ainda lembro, e as marcas são profundas.

Mas se te consola, eu estou aqui, bem e forte depois de tudo. Sempre me enfrentando, todo dia pra me manter. Mas a gente se sente vitorioso quando chega nesse ponto, cada dia é melhor.

Mergulha nos teus sentimentos, só não te dilui neles, no fim tu será maior que tudo.

E se precisar de alguma coisa, pode chamar, que eu tenho por ti um carinho grande viu?!

beijocas!
Edna Federico { 24 de setembro de 2008 14:26 }
Já gostei aqui logo de cara, pela foto de São Paulo.
Lendo seu post, gostei mais ainda.
Tão difícil encontrar um homem sensível assim...e isso não é uma crítica aos que são menos sensíveis, é só uma constatação.
Tem momentos que não basta só amar pra ficar juntos, né...
Guarde as boas lembranças, elas são valiosas.
Beijo
Ariana { 24 de setembro de 2008 19:22 }
Ai mto lindo esse sentimento seu por ELAA, e tristee também por ela estar longe de vc, mas é a vida né, os encontros e desencontros !

Beijo