Difusa confusão


[poema criado a partir da observação do quadro
de Van Gogh, apresentado neste post]



Sinto, estou confuso!
Confusão não seria a correta sensação, talvez desordem
Desordem, bagunça, não!
É algo mais difuso
Como um prisma de sensações e sentimentos
Que posto a luz do sol, se difunde, se divide
Sim, estou confuso, é algo tormentante
Porque minha confusão
É profusa, confusa, profunda!

(Luifel)

Crédito da Imagem: The Starry Night, Vincent Van Gogh.

26 commenti:

FOXX { 9 de março de 2009 12:32 }
assim... confusão pq?
Luciana Brito { 9 de março de 2009 14:34 }
Oi Moço ^^

A confusão é geradora de grandes movimentos... inicialmente ela bloqueia, mas depois provoca o movimento.

Crise!

Agradeço a visita =]

Ah sim, essa tela do Van Gogh é linda, sempre gostei.


Beijos.
@line-;-- { 9 de março de 2009 16:44 }
Confusão nao é coisa boa de se sentir, né? se ver perdido é horrendo.

Bjm
Camila { 9 de março de 2009 19:42 }
Até sua confusão consegue ser linda.

BeijO meu bem
Welker { 9 de março de 2009 21:04 }
Talvez a confusão tenha que ter um motivo lógico para acontecer... caso contrário, ela fica tão confusa quanto o próprio confundido, quando inicialmente se confundiu com uma confusão sem motivo.

Isso foi confuso?
Latinha { 10 de março de 2009 13:53 }
Sou parceiro nessa! ;-)
Abração!
Identidades Fragmentadas { 10 de março de 2009 22:18 }
Ser humano é ser locado a um prisma que vai difundir todas sensações que ainda pertencem a nós. Creio que não haja tanta definição para a exatidão daquilo que sentimos, porque tudo na vida não é uma unicidade, e, sim, uma dualidade até a morte do ser.
Bia Pedrosa { 11 de março de 2009 12:38 }
como diz uma música do nação zumbi: "... me organizando posso me desorganizar, me desorganizando posso me organizar..."

mais ou menos assim...

conhecendo seu blog ;)
Palavras de um mundo incerto { 11 de março de 2009 20:52 }
Luifel, querido!!!

É lindo como a escrita nos oferece a oportunidade de esclarecer um pouco de nós em forma de poesia.

Abraços!!!


Marcos Seiter
André Felipe { 13 de março de 2009 00:43 }
(e)confuso
confundo
confusão
com fusão
de fuso
do mundo
com muda
difusão.

confusões à parte, curti muito teu poema! Aliás, sei bem o que é sentir assim, divagando sobre algo incerto... que ora é, ora não é, ora é e não é. Confuso demais para definir, mesmo que seja pra definir como confuso.

usando tuas palavras: voltarei mais vezes! o/
[ rod ] { 14 de março de 2009 15:41 }
Eu confundo todos os meus atos só para me rever em distintas posições.


Abçs meu caro,




Novo Dogma:
queReres...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/
Thyago David. { 15 de março de 2009 01:40 }
só sei que o resultado dessa 'confusão' foi muito boa.

hehe

Muito bom poema rpz.
Abraço
Ana { 15 de março de 2009 12:26 }
Posso dizer que estar confuso não é a melhor da sensações.
Mas o desabrochar, a conclusão pós confusão é tão gostosa.


Bom domingo.
Eduardo Kasper { 15 de março de 2009 16:55 }
a confusão é normal... todos somos confusos... ao menos, às vezes
:F
Lih { 18 de março de 2009 21:37 }
olha só como ele é poeta, gente!

^^

bjooo
Thiago { 19 de março de 2009 14:05 }
confusão gera conflitos, mas o final é sempre prazeroso!
ThalitinhaH { 21 de março de 2009 01:49 }
Pode haver confusão em vc , mas não há nenhuma pra quem le confusão alguma acerca do seu talento.

Belo poemaa
Parabéns
Tatá R. da S. { 21 de março de 2009 18:30 }
Oi!!

Adoro poesias, acho que se você olhar meu blog vai perceber hehe.
Masolha, não soumuito fã de confusões, prefiro a mais dura clareza do que a visão turva.
Mas falou de tal sentimento com perfeição.
Muito legal também ter usado um quadro tão lindo pra isso.
Beijos.
Willian Lins { 21 de março de 2009 19:23 }
Vivo uma confusão diária meu amigo.

Gostei do teu espaço, tu escreve muito bem.

Abraço!
Mila { 21 de março de 2009 23:01 }
Luiz...
eu prefiro caleidoscópio... aquela coisa baginaçada sempre, sempre esconde um desenho bonito...
Flor { 26 de março de 2009 16:58 }
muito confuso mesmo...
pra mim, nesse quadro parece q esta acontecendo uma forte ventania. ou nao?
adorei o poema, vc é otimo!
beijooo

to de volta!
Ariana { 27 de março de 2009 11:04 }
Também me sinto confusaa!

belo poema!

Amei!

bjo
Dri~ { 29 de março de 2009 15:10 }
As Vezes Juntar todas essas cores e sentimento, e colocalos todos em uma telas, as vezes nos mostra .. o pq.. e como arrumar a confusão.... ou apenas nos tira a angustia, e organiza um poco mas tudo ....

apenas tente deixa a cunfosão um poco mas bela...


Otimo Texto ...
Grande Abraço!
Cachopa { 3 de abril de 2009 08:25 }
oi.... desculpa... ultimamente nao tenho tido tempo nem para me cozer quanto mais ir ao blog...
vou tentar vir mais vezes...
Clecia { 10 de abril de 2009 23:13 }
Mas esta tela do Van Gogh nos deixa confusa mesmo! BJs e feliz páscoa!
Lilly { 11 de abril de 2009 13:24 }
Gostei de seu poema para definir algo complexo e contraditório como a confusão, tendo em vista que ela pode ser ruim, mas ter seu lado bom também. Parabéns pelo blog!